Search Engine - Google
Marketing

8 dicas de SEO para alcançar a Primeira Página do Google

O SEO evoluiu de várias maneiras, mas uma coisa que não mudou é o valor de aparecer na primeira página do Google.

E estar na primeira página não significa somente obter mais cliques e tráfego para o seu site, mas também autoridade. Afinal, se o Google está “indicando” um site na página um, ele deve ser muito bom para o tema que eu estou buscando.

Em 2019, o site Statista mediu a confiança dos brasileiros nos resultados de pesquisa do Google e constatou que 95% dos entrevistados confiam no buscador.

Nível de confiança no resultado do Google no Brasil em 2019
Nível de confiança no resultado do Google no Brasil em 2019

 

A sua marca aparecer na primeira página de um canal que é o mais visitado do mundo com 92 bilhões de acessos mensais e possui 95% de confiabilidade, é a melhor forma de divulgá-la para usuários interessados em seu produto ou serviço.

Porém, dependendo da consulta, a competição por uma vaga na página um do Google pode ser acirrada. Mas com o trabalho certo e esforço de SEO, é possível.

Vejamos alguns dos melhores métodos comprovados para ajudar suas páginas a chegar lá. Mas, antes de iniciar a sua otimização, pense: o que eu posso fazer de forma fácil e terá um resultado rápido x o que é mais complexo e terá um resultado mais demorado. A partir daí, defina a sua estratégia 😉

1. Melhorar a linkagem interna

Linkagem interna é uma das táticas mais fáceis de implementar e que pode ter efeitos positivos significativos em sua classificação.

Os links internos ajudam o Google a navegar e conhecer o seu site. Essa é também uma forma do Google entender que o seu conteúdo é relevante para o usuário.

Funciona assim: se você escreve um tema e há outras páginas que também complementam o tema inicial, o Google entenderá que o seu site é realmente relevante para o usuário que buscar pela palavra-chave que você está trabalhando.

Exemplo de linkagem interna. Fonte: Neil Patel

E mais, com uma boa linkagem interna, incentivamos o usuário a permanecer por mais tempo no site.

Por isso, use a linkagem interna de forma estratégia. Por exemplo:

  • em ecommerce: nas páginas de produtos, linke para outros relacionados.
    • Pode ser para um produto similar, mas com valores diferentes – e assim dar mais opções para o usuário comparar e comprar. A Amazon faz muito isso!
    • Ou linke para produtos que se complementem. Se o usuário está interessado em um brinco, que tal mostrar um anel? Você precisa conhecer a fundo o seu usuário para exibir produtos que tenham mais possibilidade de dar match e resulte em compra.
  • em sites de conteúdo:
    • Linke para artigos que complementem o seu artigo original. Para que o usuário possa se aprofundar um pouco mais em determinado assunto.

Esse tipo de interligação estratégica também mostra ao Google que você tem uma cobertura completa do tópico, dando a eles mais confiança de que os usuários que eles enviam para o seu site ficarão satisfeitos e felizes.

2. Encontre as páginas

Estas páginas são aquelas que estão atualmente classificadas logo abaixo da página um (tradicionalmente, posições 11 a 20.. ou até a 30).

Eles provavelmente produzem pouco ou nenhum tráfego para você, mas com um pequeno ajuste, elas podem subir para as posições da primeira página, que geram retorno financeiro/tráfego para você.

Eles devem estar no topo de sua lista de prioridades, porque levar essas páginas web para a primeira página do Google geralmente é mais fácil do que classificar o novo conteúdo.

Comece usando a ferramenta de posicionamento de palavra-chave de sua escolha (eu uso a Semrush e o Search Console) para segmentar suas páginas com palavras-chave classificadas nas posições 11 a 30.

Em seguida, classifique por volume de pesquisa para trazer as páginas de maior potencial de retorno para o topo.

Agora aplique as outras dicas deste artigo a essas páginas e leve-as para a página um do Google!

3. Análise comparativa de conteúdo

Se você tem páginas importantes que não estão chegando à página um, há uma verdade simples que você deve aceitar: as outras têm algo que você não tem.

Embora não saibamos todo o raciocínio que o Google usa para decidir por que essas páginas são classificadas acima da sua, muitas coisas podem ficar aparentes em sua análise comparativa.

Isso significa que você deve passar um tempo olhando as páginas de destino para todos os resultados com classificação acima da sua e compará-los cuidadosamente com sua página. Aqui estão algumas perguntas a serem feitas sobre cada página competitiva:

  • O conteúdo possui melhor qualidade (mais completo, transmite autoridade, inclui informações e fontes mais relevantes)?
  • Está melhor escrito?
  • Ele contém palavras-chave / tópicos que sua página não aborda?
  • Ele tem melhores links internos para outras páginas do site? Outras páginas relevantes têm links para ele?
  • O perfil dos sites que linkam para ele (backlinks) é maior e / ou de melhor qualidade?
  • Contém “extras” que podem ser úteis para os visitantes (imagens, gráficos, vídeos, tabelas, etc.

Embora você não queira copiar as páginas que superam você, o que eles estão fazendo e você não, pode fornecer boas dicas sobre como melhorar sua página para competir por boas posições com eles.

4. Mova as páginas importantes para cima na navegação do site

Esta técnica não pode ser usada para todas as páginas de seu site, mas pode fazer muito por suas páginas mais importantes.

Para o Google, as páginas mais importantes estão mais “próximas” da home. Portanto, se o usuário tiver que levar muitos passos para chegar a uma determinada página, o Google pode não dar revelância e não classificá-la em boa posição.

Sua página inicial (home) normalmente recebe mais links externos e, portanto, é a página de maior autoridade em seu site. Por isso, pense bem em quais links internos terá em sua home. Para quais páginas ela linkará.

Hierarquia da linkagem interna do site.
Hierarquia da linkagem interna do site.

Aproximar suas páginas mais críticas da página inicial aumentará sua autoridade e, portanto, sua capacidade de subir na classificação.

5. Tenha um site mobile-friendly

Esta dica deve ser óbvia, mas se você ainda não possui um site que funcione bem em dispositivos móveis, agora é a hora de fazê-lo.

A maioria das buscas hoje em dia começam no mobile. E mais, desde 1º de julho de 2019, o Google prioriza a indexação da versão mobile dos sites.

Ter uma página mobile-friendly faz parte da atualização da Page Experience. O buscador está cada vez mais pensando na experiência do usuário.

O que você puder fazer para deixar o seu site mais rápido, com boa navegação e conteúdo, se refletirá em melhores posições no Google.

6. Ganhe/Construa links

Ganhar links apontando para a sua página significa criar conteúdo que é tão bom e autoritário que outros sites irão querer se conectar a ele como referência, enquanto a construção de links envolve a busca ativa de oportunidades para links relevantes de sites confiáveis.

O Google entende que quanto mais backlinks de qualidade a sua página possui, mais relevante e confiável ela é. Se outros sites “recomendam” a sua página, ela realmente deve ser boa.

7. Featured Snippets (Posição Zero)

Featured Snippets são as “respostas rápidas” fornecida aos usuários logo no topo do resultado do Google.

Estas respostas são curtas e de fácil interpretação para que os usuários possam encontrar a informação que buscam diretamente na página de resultados do Google. Porém, geram muito tráfego, já que os usuários querem saber mais do que é mostrado no trecho.

Não há maneira garantida de ser mostrado em um Snippet em Destaque, mas aqui estão algumas coisas que você pode fazer para aumentar suas chances:

  • Analise se há Snippet de Destaque para a variação de palavra-chave que você gostaria de trabalhar. Algumas ferramentas de SEO, como a Semrush, identificam automaticamente estas oportunidades para você.
  • Há 3 tipos de respostas rápidas: parágrafo, lista e tabela. E podem variar ainda entre com ou sem imagens, dependendo da estrutura da página do site. O formato pode te dar uma pista sobre o tipo de conteúdo que o Google prefere para esta consulta.
  • Seu site precisa estar entre as posições 1 e 5 para a palavra-chave pesquisada para que seu resultado possa aparecer em destaque.
  • Elas aparecem mais frequentemente em respostas de consultas iniciadas com “o que é” ou “como fazer”, mas também com alguns outros nomes que possuem alto volume de buscas no Google.
  • Acima de tudo, seu conteúdo precisa ser bem completo e capaz de responder à pergunta do usuário. Escreva um passo a passo, um FAQ com diversas perguntas sobre o seu produto ou serviço.

8. Atualize conteúdos antigos

É mais fácil subir de posição com conteúdos antigos do que criando do novos, do zero.

Pode ser que, com o tempo, algumas de suas páginas caiam de posição no Google. Isso é normal e pode acontecer por alguns fatores:

  • Conteúdo mais novo, melhor, e/ou maior autoridade foi publicado por outros.
  • A intenção da consulta mudou com o tempo.

Qualquer que tenha sido a razão que fez com que seu conteúdo escorregasse em seu potencial de ganho, há maneiras de reavivá-lo e dar-lhe nova vida nas SERPs.

Você pode:

  • Atualizar o seu conteúdo, enriquecer com novas informações. Analise os seus concorrentes na SERP e identifique quais informações eles possuem e você não.
  • Criar novos artigos com variações de palavras-chave do artigo que você quer atualizar e linkar para ele. Por exemplo, para esse artigo “8 dicas de SEO para alcançar a Primeira Página do Google”, eu posso escrever um outro sobre “Linkagem Interna” e linkar para ele (já que falamos sobre linkagem interna acima). Isso mostrará ao Google que o meu site possui bastante conteúdo relevante sobre o tema, gerando confiança.

 

Fonte: Search Engine Journal

 

Tags